Vigília pela cultura e arte

Fonte: Expresso

Músicos e artistas reivindicam, esta quinta-feira, 21 de maio, as suas condições de vida, numa vigília. Entre outros aspetos, exigem que seja aprovado o estatuto de artista, intermitente até hoje. 

A manifestação conta já com 15 cidades, de Portugal Continental e das Ilhas. A vigília teve início às 9 horas da manhã em Lisboa, na escadaria da Assembleia da República e consiste em uma “reivindicação por turnos de meia hora”, de 8 a 10 pessoas por turno, adianta o Expresso. Às 14 horas o Porto junta-se à vigília, o Centro e Sul terminam já de noite. 

A fundadora da Ação pela Cultura 2020 e organizadora da vigília, Anaísa Raquel, admite ao Expresso que “há que mostrar ao Ministério da Cultura (MC) que tem de encontrar soluções que se adaptem à nossa forma de trabalhar. É preciso dar voz aos artistas e profissionais da cultura que estão a passar mal, que têm necessidades urgentes e que não têm perspetiva de poder vir a trabalhar já”. 

Entre as diversas iniciativas dos artistas para se ajudarem uns aos outros, estão também associações e movimentos do setor: a Palco13; Apuro; a Musa e a Gestão de Direitos de Autor (GDA). Os artistas reclamam o fim dos recibos verdes e exigem contrar a curto, médio e longo prazo, informa o Expresso.