Santuário de Fátima celebra 13 de maio sem peregrinos

Fonte: Observador

O Bispo de Leiria-Fátima, D. António Marto, anunciou este domingo, 3 de maio, que a Igreja decidiu manter a decisão de fazer as cerimónias do 13 de maio em recinto fechado e sem a habitual presença de peregrinos, atendendo à pandemia de covid-19, anunciou o Observador.

“Por mais que o nosso coração desejasse estar em Fátima, a celebrar comunitariamente no mesmo lugar, como acontece desde 1917, a prudência aconselha-nos a que desta vez não seja assim. Mantemos esta opção dolorosa na expectativa de, quanto antes, podermos ter neste Santuário as multidões que, na alegria da fé, se reúnem para celebrar e rezar”, a informação foi avançada pelo cardeal, Dom António Marto, num comunicado lido este domingo a partir do Santuário de Fátima e citado pela agência Ecclesia.

Ainda no comunicado lê-se que “a decisão da Igreja Católica de seguir as indicações das autoridades civis no sentido de suspender as celebrações religiosas decorre da responsabilidade de fazer o que está ao seu alcance para não colocar em perigo a saúde pública, em sintonia com o mandato evangélico do amor próximo”.

D. António Marto atenta na necessidade de evitar um “aglomerado imprevisível de pessoas na Cova da Iria”, entre os dias 12 e 13 de Maio, “numa altura em que o risco epidémico é elevado”.

Desta forma, o Santuário de Fátima mantém a decisão anteriormente anunciada, a 4 de abril, de realizar as celebrações do 13 de maio com “uma presença simbólica de participantes”, que serão apenas os “intervenientes na celebração e funcionários do Santuário de Fátima”. Assim, não haverá “presença física de peregrinos”, que poderão assistir às cerimónias a partir da comunicação social.

“Por mais que o nosso coração desejasse estar em Fátima, a celebrar comunitariamente neste lugar, como acontece desde 1917, a prudência aconselha-nos que desta vez não seja assim”, refere o comunicado. “Mantemos esta opção dolorosa, na expectativa de quanto antes podermos ter neste santuário as multidões que na alegria da fé se reúnem para celebrar e rezar.

Esta tomada de decisão foi anunciada pelo Santuário de Fátima depois de no sábado a ministra da Saúde, Marta Temido, ter admitido a “possibilidade” de haver peregrinação em Fátima, tal como houve o evento da CGTP no Primeiro de Maio. Contudo, a ministra da saúde, esclareceu este domingo que a “possibilidade” por ela admitida à SIC não contemplava a participação de “peregrinos” mas apenas de “celebrantes”.

“A decisão da Igreja Católica de seguir as indicações das autoridades civis no sentido de suspender as celebrações religiosas comunitárias decorre da responsabilidade de fazer o que está ao seu alcance para não colocar em perigo a saúde pública, cumprindo também deste modo o mandato evangélico do amor ao próximo”, notou.

Por conseguinte, as celebrações dos dias 12 e 13 de Maio deste ano não vão contar com a presença dos peregrinos e serão transmitidas online e pelos órgãos de comunicação social. “Respeitamos, por isso, numa atitude de colaboração com as diversas autoridades, as orientações de realizar estas celebrações com uma presença simbólica de participantes: intervenientes na celebração e funcionários do Santuário”, remata o responsável católico em comunicado.