Oito mortos e dois detidos após tentativa de invasão marítima na Venezuela

REUTERS

O governo venezuelano informou este domingo, 3 de maio, que impediu uma invasão marítima ao seu território feita por paramilitares colombianos, que tentaram entrar no país pela costa do estado de La Guaria. Durante o afronto, oito pessoas morreram e duas permanecem detidas. 

Durante a manhã de domingo, 3 de maio, o governo da Venezuela anunciou o ataque “terrorista” que sofreu no dia anterior. No passado sábado, 2 de maio, um grupo de homens armados com fuzis, oriundos da Colombia, tentou entrar pela costa do estado venezuelano de La Guaira. Segundo o site Brasil de Fato, o ministro venezuelano da Justiça, Interior e Paz, Néstor Reverol, afirma que os sujeitos “tentaram entrar com lanchas rápidas na costa mas que, graças à Força Armada Nacional Bolivariana, às Forças Especiais e da Polícias Nacional Bolivariana, conseguiram impedir o ataque”.

O ministro salienta ainda que o objetivo desta investida era de “cometer atos terroristas no país, o assassinato de líderes do governo revolucionário, aumento da violência e de gerar caos e confusão na população, que iria resultar num novo golpe de estado”. O presidente da Assembleia Nacional Constituinte (ANC) da Venezuela, Diosdado Cabello, dá a conhecer os materiais apreendidos pelos alegados invasores, em que se destacam veículos “para montar metralhadoras”, fuzis de assalto, um documento de identidade peruano e peças de uniforme militar com a bandeira dos Estados Unidos. 

Para Diosdado Cabello, esta tentativa de golpe não passa de “mais um atentado da direita e do imperialismo norte-americano”. “Estamos vencendo e venceremos, nós vamos vencer. Viva Bolívar, Viva Chávez, Viva Maduro e Viva a Revolução Bolivariana”, proclamou o presidente da ANC.