O valor da vida selvagem

Fonte: NiT

Os animais dão o que é necessário para a existência do ser humano. Apesar de o Homem possuir uma grande importância na biodiversidade, a sua atitude deve ser refletida, pois os seus atos podem causar danos imprescindíveis na vida selvagem.

A existência de vida no planeta Terra deve-se ao equilíbrio entre a fauna e a flora. A variedade de vida selvagem existente possibilita ao ser humano os sistemas naturais, os quais o Homem depende, como por exemplo, água, solos férteis, alimentos, etc. Embora, a vida selvagem forneça muitos itens essenciais à vida do ser humano, é de salientar, que a biodiversidade está cada vez mais em crise.

Segundo o site do World Wildlife Fund (WWF), desde 1970, os números caíram mais de metade e as espécies são extintas num ritmo avassalador. A partir dos dados da National Geographic, o tigre de bengala é o animal mais extinto, de seguida o orangotango, em que se estima que exista apenas 15.000 a 25.000 e em terceiro lugar, o panda em que o valor estimado é de 1.600.

“É preocupante, de ano para ano, o decréscimo de espécies de peixes, pássaros e mamíferos”, realça o diretor da WWF, Marco Lambertini. Ainda acrescenta que não vai ser possível haver um futuro próspero para os homens num planeta com “um clima instável, oceanos esgotados, solos degradados, florestas esvaziadas, um planeta despojado da sua biodiversidade”.

De acordo com o Jornal de Notícias, os cientistas estimam que em 2050, 10% dos solos estão livres da mão humana. Com isto, a WWF refere que a poluição, a caça, a pesca, as doenças e, ainda, as alterações climáticas agravam situação.

A associação portuguesa Zero apresenta dados alarmantes, onde se percebe a dimensão da gravidade. “Se não agirmos agora, a extinção pode ser o legado mais duradouro da  humanidade”, declara a associação.

Segundo o Sul informção, lince-ibérico é o animal mais extinto na Península Ibérica, já que desde 2009 até ao final do ano passado, nasceram 122 linces, dos quais 89 sobreviveram e 69 foram para o seu habitat natural. A rede de recuperação foi criada com o objetivo de salvar a espécie de linces-ibéricos, uma vez que, que está em vias de extinção.

Registo de um vídeo realizado pelo Jornal Em Ponto que mostra o estado de muitos dos animais que sofrem com as ações humanas.