O (re)uso da Tele-escola

Fonte: radioregional

As escolas estão a preparar-se para um novo método de ensino à distância, com o objetivo de alcançar todos os alunos até ao terceiro ciclo, afirmou hoje, dia 4 de abril, o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, sem avançar com datas. 

De acordo com a Lusa, o ministro da Educação, em declarações à RTP, explicou que enquanto as aulas presenciais estiverem suspensas, a metodologia usada passa “pelos meios mais tradicionais”, com o objetivo de chegar a todos os alunos. Adiantou ainda que a solução do problema está na tele-escola, mas num contexto “completamente diferente” do que existiu no passado para o segundo ciclo, em que era dada com “alunos e professor na sala de aula”.

A televisão pública é o “meio em que existe mais acesso, porque está acessível através da Televisão Digital Terrestre e pela Internet”, justificou. Acrescentou também que a tutela “está a trabalhar para o terceiro período acontecer”. 

Sem se comprometer, Tiago Rodrigues remeteu o arranque da tele-escola para 9 de abril, ocasião em que o Governo vai anunciar um conjunto de orientações para o terceiro ciclo do ano letivo.

Além da avaliação sobre o ponto de situação da pandemia à data, “também temos de chegar às escolas e explicar-lhes como poderão utilizar esta ferramenta”, justificou. Garantiu ainda que “este é um trabalho que está em curso”.

Devido à pandemia e num meio em que todos “foram apanhados de surpresa”, o Ministério da Educação enviou orientações às escolas que estão a “preparar os seus planos de ensino à distância”.

Por fim, sublinhou a necessidade de haver uma preparação “para situações mais complexas” e a urgência de “começar a trabalhar atempadamente e a produzir todas estas ferramentas”.