O futuro académico nas mãos do coronavírus

Fonte: saudemais.tv

O adiamento dos exames e o possível retorno de aulas presenciais para o 11º e 12º ano, foram as principais medidas tomadas pelo Primeiro-Ministro, António Costa, no domínio do ensino secundário, em declarações ao país, na última quinta-feira, dia 9 de abril.

Para além desta decisão, os estudantes do 11º e 12º anos vão apenas elaborar os exames nacionais de disciplinas específicas pedidas por cada curso e instituição no ingresso ao ensino superior. Os calendários letivos sofreram, de igual modo, variações. O 3º período, com fim previsto, antes da pandemia, para 5 de junho, vai acabar no dia 26 desse mesmo mês. A 1ª fase dos exames nacionais de secundário passa para 6 a 23 de julho e a 2ª fase vai realizar-se entre 1 a 7 de setembro.  

O “Jornal em Ponto” procurou saber, junto de estudantes do 12º ano, como estas alterações teóricas estão a ser concretizadas na prática e os anseios de quem se vê distante dos professores e perto dos exames nacionais.