Morreu o último trovador português, Pedro Barroso, autor de “Menina dos olhos d’água”

Vítima de doença grave, o “poeta de canções” Pedro Barroso morreu, na passada noite de segunda-feira, aos 69 anos. Além de ter sido um homem de muitos ofícios, foi também uma das vozes da intervenção na Revolução de abril. Consigo deixa um vasto legado de discos e canções da sua autoria como “Menina dos olhos d’água”, “Viva Quem Canta” ou “Música-Música”.

A 8 de março, Pedro Barroso, deu entrada no Hospital da Luz, Lisboa. De acordo com o artigo da rádio M80, o seu filho, Nuno Barroso, usou as suas redes sociais para comunicar com as pessoas sobre o estado do pai. Estando já “na fase terminal da doença”, acabou por falecer alguns dias depois.

Facebook de Nuno Barroso

O ribatejano Pedro Barroso, foi uma das vozes da Revolução de abril de 1974 tal com José Afonso, Adriano Correia de Oliveira e Luís Cília. Entre a década de 1970 e 2017 completou uma vasta discografia e percorreu grandes salas portuguesas, como a Aula Magna, o Coliseu de Lisboa, e o Teatro Tivoli. A 3 de dezembro de dezembro, despediu-se dos palcos, com um concerto no Teatro de São Luiz, ao celebrar os seus 40 anos de carreira.

“Antes do Futuro” foi o último disco que gravou contudo, segundo a agência Lusa, o autor estava a gravar um outro disco intitulado “Novembro”, na editora Ovação, que será editado em breve. Este disco, que de acordo com o Público, o compositor já o via como o seu último e se referia a ele como ser um disco de “comunicação alternativa, de sensibilidade aos problemas das pessoas de humanismo, da maneira de estar por dentro das coisas”.  

A março de 2009, numa entrevista feita pelo Correio da Manhã ao compositor, O Jornal I recorda algumas das coisas que foram ditas. “As canções têm de ter uma intenção e hoje não significam nada, fazem-se só para vender. Eu procuro fazer coisas que fiquem”. Ficou conhecido no universo musical como o “último trovador português” e foi sempre muito acarinhado pelos seus conterrâneos.

O Observador recolheu a palavra de algumas personalidades portuguesas que, após receberem esta notícia, homenagearam a vida deste artista:

“Perdemos um grande artista, um grande ser humano.”

Ruy de Carvalho

“Pedro Barroso foi um homem da palavra e da música que este país, infelizmente, conheceu mal.”

Simone de Oliveira

“Foi membro de uma geração única da música português, que transformou a canção em protesto, manifesto, pensamento e transformação social. Ensinou-nos que a resistência de um povo também se cria a cantar.”

Graça Fonseca

“Ativo, interventivo e enérgico. Um homem que sempre se envolveu nos combates democráticos e nas campanhas de dinamização cultural.”

Marcelo Rebelo de Sousa

Para quem não conheceu a obra deste artista, aqui em baixo fica uma das atuações do último trovador português, no programa “Vozes de abril” da RTP1 no Coliseu de Lisboa, a 25 de abril de 2008:

“Menina dos olhos d’água” de Pedro Barroso – Youtube