Mais de 776 milhões de alunos sem aulas presenciais

Em declarações ao serviço de notícias ONU News, o representante da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), Vincent Defourny, revelou hoje, dia 17 de março, que mais de 776 milhões de crianças e jovens, em todo o mundo, estão sem aulas devido às medidas de prevenção contra o novo vírus.

Fonte: postal

O número representa um aumento significativo em comparação com os dados divulgados pela UNESCO na passada terça-feira, que indicava que perto de 363 milhões de alunos no mundo estavam sem aulas por causa da pandemia.

Segundo a Lusa, Vicente Defounry indicou, à ONU News, que pelos menos 85 países no mundo, onde está incluído Portugal, encerraram as escolas a nível nacional para combater a propagação do vírus. 

Atualmente, a UNESCO está a trabalhar, juntamente com as autoridades dos países, em busca de soluções que permitam uma aprendizagem à distância, com a utilização da internet, rádio, televisão e outros meios, e inclusiva. “É importante que a estratégia de cada professor seja adaptada à circunstância do país e à circunstância da sua turma”, referiu o representante da UNESCO.

O encerramento dos estabelecimentos de ensino representa um custo social e económico alto, principalmente em questões relacionadas com a alimentação das crianças, uma vez que muitos ficam sem alimentos a que têm acesso na escola.