Grupo Calzedonia fabrica 10 mil máscaras e batas por dia

Desde terça-feira que o Grupo detentor das marcas Intimissimi, Tezenis, Falconeri e Intimissimi Uomo, juntou-se a outras marcas da indústria da moda e começou a produzir máscaras e batas todos os dias. A primeira doação já foi feita ao Hospital de Verona, situada na cidade sede do grupo.

Foi através de um comunicado enviado à comunicação social que o Grupo Calzedonia anunciou, dia 24 de março, a sua vontade em ajudar a população em relação à pandemia de Covid-19 que tem afetado Itália em grande escala. Nesse comunicado o grupo italiano afirma que vai produzir 10 mil máscaras e batas por dia mas, segundo o website Lifestyle ao Minuto, prevê-se um aumento significativo das quantidades produzidas nas próximas semanas.

“O Grupo Calzedonia respondeu com uma ação concreta e imediata à necessidade atual das instituições na luta contra o Covid-19, colocando à disposição as fábricas e recursos da empresa, para a produção de 10.000 máscaras e batas por dia.”

Comunicado de 24 março de 2020, Retirado de Observador

Segundo a informação que consta em ambos os artigos, Sandro Veroseni, o presidente e o fundador do grupo, mostrava grande sensibilidade a esta realidade pelo que já tinha mandado fechar as lojas onde a marca tem instalações. De acordo com o artigo do Jornal de Negócios, Portugal é um desses países e as 196 lojas já foram encerradas, por um período de tempo indeterminado.

Fábricas localizadas no Norte de Itália, Avio e Gissi, e também as situadas na Croácia, foram adaptadas para a produção de máscaras e batas. “Esta produção extraordinária foi possível através da aquisição da maquinaria específica para a criação de uma linha semiautomática e garantido a devida formação às costureiras”, refere ainda o comunicado.

O grupo italiano não é a única marca da indústria da moda a seguir o movimento. Giorgio Armani, Dolce & Gabanna, Bvulgari, Versace, Kering, Mayhoola, LVMH e agora a Prada, estão a ajudar no combate ao Covid-19 de diferentes maneiras. Tendo em conta o artigo escrito pela Vogue, a Prada está a produzir 80 mil macacões médicos 110 mil máscaras para médicos, farmacêuticos e enfermeiros e a empresa que controla a Valentino e Balmain, Mayhoola, fez uma doação de dois milhões de euros para ajudar o Sacco Hospital, em Milão, e para a Proteção Civil Italiana.