Festivais de música só em outubro de 2020

Fonte: NIT

Na reunião do Conselho de Ministros desta quinta-feira, 7 de maio, ficou, finalmente, decidido que não se vão realizar festivais de música em Portugal até 30 de setembro. Festivais como Nos Alive, Super Bock Super Rock, Meo Sudoeste e Paredes de Coura são alguns atingidos por esta medida. 

“Impõe-se a proibição de realização de festivais de música, até 30 de setembro de 2020, e a adoção de um regime de caráter excecional dirigido aos festivais de música que não se possam realizar no lugar, dia ou hora agendados, em virtude da pandemia”, decisão escrita na nota do Conselho de Ministros.

Pode ainda ler-se que “para o caso de espetáculos cuja data de realização tenha lugar entre o período de 28 de fevereiro de 2020 e 30 de setembro de 2020, e que não sejam realizados por facto imputável ao surto da pandemia da doença covid-19, prevê-se a emissão de um vale de igual valor ao preço do bilhete de ingresso pago, garantindo-se os direitos dos consumidores”. 

Diversos festivais de música já tinham sido adiados, entre os quais o Rock In Rio Lisboa e o Boom Festival. O Nos Primavera Sound havia sido adiado para o início de setembro, de 3 a 5 desse mês. 

A notícia já era de esperar. A 30 de abril, António Costa afirmou que havia uma “enorme probabilidade” de o Governo vir a decidir-se pela não-realização dos festivais nos moldes habituais por causa da covid-19. 

Esta terça-feira, 5 de maio, Isaltino Morais, presidente da Câmara Municipal de Oeiras, garantiu que o festival Nos Alive não se iria realizar no Passeio Marítimo de Algés.