Farmácias sujeitas a fiscalização por parte da ASAE e Infarmed

Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) e Infarmed são as entidades responsáveis pela inspeção feita às farmácias esta quinta-feira, dia 19 de março. Com esta averiguação, as entidades pretendem garantir que não está a ocorrer o crime de especulação e fixar um limite máximo do número de medicamentos que cada cliente pode comprar.

Perante a pandemia de Covid-19 a Infarmed emitiu uma norma para limitar a venda de medicamentos a cada cliente. Segundo apurou o Observador, ainda esta quinta-feira a entidade deverá colocar uma nova norma mais completa, relacionada com as quantidades vendidas de cada medicamento. A nova norma poderá conter restrições mais exigentes para medicamentos específicos.

 Na nota já publicada pelo Infarmed lê-se que “É essencial adotar medidas preventivas de salvaguarda no acesso aos medicamentos por todos os cidadãos, desencorajando-se a aquisição de quantidades de embalagens em número elevado que não correspondem a reais necessidades”. A Circular emitida pelo Infarmed na passada quarta-feira, dia 18, às farmácias, que normatiza o número de medicamentos vendidos pode ser lida aqui

Já os preços dos medicamentos e produtos com maior procura (gel desinfetante, máscaras ou luvas) foram fiscalizados pela ASAE para garantir que correspondem aos valores permitidos por lei, segundo informação noticiada pelo Jornal Público