Estado de emergência: Sete detenções por crime de desobediência

O estado de emergência foi decretado, em Portugal, no dia 18 de março. Contudo, há quem não esteja a cumprir com as medidas, nomeadamente a de afastamento social. No passado domingo, dia 22 de março, a GNR deteve sete pessoas por crime de desobediência.

De acordo com o Diário de Notícias uma das detenções “foi um caso particularmente grave de violação do dever de confinamento”, enquanto os restantes seis casos “deveram-se a situações de incumprimento das indicações das forças de segurança relativamente a comportamentos ou relativamente a situações de circulação ou de prática de ajuntamentos não admissíveis”, explicou Eduardo Cabrita, ministro da Administração Interna.

“Foi necessário pontualmente intervir, sobretudo em situações em que, como na marginal de Esposende ou da Póvoa de Varzim, ou no Santuário do Sameiro, se verificaram situações pontuais de aglomeração de cidadãos. Aí, as forças de segurança, numa dimensão pedagógica, deram as indicações necessárias a que essas situações, que não se devem repetir, pudessem ser ultrapassadas”, constatou o ministro da Administração Interna.

No entanto, Eduardo Cabrita admitiu que se tem verificado uma “generalizada adesão dos portugueses à adequação de medidas e comportamentos previstos na declaração do estado de emergência”. O ministro da Administração Interna agradeceu o espírito de solidariedade que os portugueses têm revelado.

“As forças e serviços de segurança transmitiram-nos que a ação desenvolvida foi quase na totalidade pedagógica”, revelou.

A Direção-Geral da Saúde atualizou esta segunda-feira, dia 23, o número de infetados pela Covid-19. Portugal conta até ao momento com 2060 casos e o número de vítimas mortais aumentou para 23.