Diretor-geral da OMS: “Saúde não pode ser transformada em arma”

Fonte: rtp

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou hoje, 13 de maio, numa conferência de imprensa ‘online’ na sede da organização, em Genebra, que a saúde não pode ser transformada em arma e fez um minuto de silêncio pelos profissionais que morrem “para salvar vidas”.

Segundo a Lusa, o alerta foi deixado um dia depois do Dia Internacional do Enfermeiro, mas também de um ataque a um hospital da organização Médicos Sem Fronteiras no Afeganistão, que matou mais de duas dezenas de pessoas, incluindo crianças e enfermeiras.

Tedros Ghebreyesus revelou que ficou chocado e muito triste com a notícia do ataque e acrescentou que os profissionais de saúde, e os civis, nunca deviam ser um alvo e que o mundo precisa de paz para a saúde e de saúde para a paz. Em momento de pandemia global, pediu para que as pessoas “deixem a política de lado e deem prioridade à paz, e que haja um cessar fogo global para terminar com a pandemia”.

Além disso, alertou para a vulnerabilidade das pessoas detidas face à covid-19, lembrando também as últimas estatísticas mundiais para dizer que se por um lado hoje as pessoas vivem mais anos e com mais saúde, uma evolução em países pobres, por outro a taxa de progresso é muito lenta, com a covid-19 a piorar a situação. 

E sobre a Assembleia-Geral da OMS, da próxima semana, disse que é uma oportunidade para todos os países se unirem para combater o novo coronavírus e provarem que o mundo é mais do que um grupo de países com bandeiras coloridas.