Criada linha de SMS para mulheres em isolamento com agressores

Perante a situação de Covid-19, foi criada a linha 3060, para onde as vítimas de violência doméstica podem enviar mensagens escritas. É uma linha gratuita e não fica registada na fatura mensal. Na semana passada, houve 40 pedidos de ajuda.

Com o estado de emergência e o isolamento social, as vítimas de violência doméstica veem-se obrigadas a partilhar o mesmo espaço com o agressor.

Por entender que é necessário disponibilizar novas formas de comunicação para denunciar atos de violência, o Governo criou uma linha de apoio, gratuita. O número para onde devem enviar mensagens é o 3060 e está disponível desde sexta-feira, dia 27 de março.

A linha de SMS 3060 tem como slogan “No isolamento estamos consigo, escreva quando não puder falar”.

“As pessoas isoladas em casa estão mais vulneráveis à violência que, neste período de tensão, se exacerba.”, esclarece Rosa Monteiro, secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, ao Diário de Notícias.

Rosa Monteiro explica ainda ao Diário de Notícias que “prevenir” foi a palavra de ordem que esteve por detrás da criação da linha de SMS 3060. Porém, não substitui o serviço telefónico de informação às vítimas de violência doméstica 800 202 148, funcionando antes como um complemento.

“Uma mulher confinada em casa com o agressor não pode falar, a não ser numa saída às compras ou à farmácia. Há outros canais de comunicação como o mail, mas 20% não tem acesso a um email e é preciso também ter em conta a limitação de Wi-Fi.”, verifica Rosa Monteiro.

O endereço de email violência.covid@cig.gov.pt está, também, disponível seja para pedir ajuda ou fazer denúncias. A violência doméstica é um crime público e deve ser reportado.