Antenas 5G destruídas devido a uma teoria da conspiração

Matthew Horwood / Getty Images

Uma teoria, que teve origem na Bélgica, está a motivar a destruição de antenas de telemóvel em vários pontos da Europa. Essenciais ao contacto e combate à pandemia, as pessoas acreditam que a propagação da Covid-19 é feita através do sinal 5G que as antenas propagam.

Desde o princípio do mês de abril, que as autoridades britânicas já registaram cerca de 50 incêndios, de origem criminosa, a antenas 5G. O motivo que levou a este ato, difundido pelas redes sociais, já alcançou a população internacional e levou-a a cometer os mesmos tipos de crime. Pelo menos, 16 incêndios foram registados na Holanda, mas também há casos no Chipre, Bélgica e na República da Irlanda.

“É inaceitável que pessoas estejam a destruir infraestruturas de que nós precisamos para responder a esta emergência médica”, disse à Associated Press, Stephen Powis, diretor do Serviço Nacional de Saúde de Inglaterra.

Segundo o USA Today, esta teoria da conspiração sobre a tecnologia 5G começou a 22 de janeiro de 2020, quando um pequeno jornal belga, “Het Laatste Nieuws”, publicou uma entrevista com o doutor Kris Van Kerckhoven, que tinha como título “5G é uma ameaça e ninguém sabe disso”. De acordo com a entrevista, o doutor afirma que a rede 5G era perigosa e que estava de alguma forma ligada ao novo coronavírus. Após o artigo ter gerado uma onda de pânico, o jornal acabou por retirar a publicação da sua página de internet. Porém a conspiração alastrou-se cada vez mais, por todo o mundo, através de comentários, publicações, vídeos e imagens.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a União Internacional de Telecomunicações (UIT) estão a desmistificar o caso. Conforme o jornal digital tele.síntese ambos os organismos emitiram, nas últimas semanas, comunicados sobre a importância de se guiarem pelo que os meios de comunicação “credíveis” afirmam, na opinião de especialistas e nas evidências científicas. A OMS publicou nas suas páginas um infográfico sobre o assunto, no qual salienta que a rede 5G e a Covid-19 não têm qualquer relação. 

Illustração. (Fotografia: raskrikavanje.rs)

A rede 5G é a quinta geração das tecnologias de comunicação sem fios, como escreve a Micky. Ela tem como principal foco o uso primário dos dados da rede de telemóvel. Apesar de ser uma onda de rádio poderosa, não é idêntica às que são transmitidas por um microondas. E ambas as ondas de rádio têm uma coisa em comum: não conseguem espalhar vírus ou bactérias. 

Caso ainda não se tenha cruzado com nenhuma das publicações, que agora percorrem o mundo, aqui fica um vídeo de Youtube publicado pela Mashable a 9 de abril de 2020, que explica a teoria e prova a sua veracidade:

Mashable – “The Facts Behind 5G & Coronavirus | Mashable Explains”