A “força” das autoridades para além da vigilância

Fonte: RFM

Neste tempo de pandemia é fundamental o papel de um polícia. A profissão que exige vigilância tornou-se muito mais que uma simples segurança para todos. É possível, assistir, em várias partes do mundo, manifestações a cantar e a dançar de muitos polícias, que tentam dar um pouco de alegria num momento de grande desânimo. 

Numa questão de dias, a Internet encheu-se de vídeos que mostram o corpo policial a tomar conta das ruas da cidade, através de músicas e coreografias que eles próprios apresentavam à comunidade. Uma das gravações que viralizou nas redes sociais ocorreu em Barranco na cidade de Lima onde as autoridades decidiram cantar e dançar para as pessoas que estavam a cumprir as normas do combate à Covid-19. Os agentes não só cantaram e dançaram, como também levaram microfones e cartazes. Segundo o SOL, um dos agentes afirmou que estavam ali para animar a população e salientar que “juntos vamos conseguir” ultrapassar a pandemia.

O empresário de futebol, Elio Casareto, divulgou o momento no Twitter: 

Outro vídeo que “invadiu” as redes sociais passou-se em Andorra. Os polícias quiseram animar as crianças e suas famílias ao cantarem e dançarem a música ”Baby Shark”. No Twitter, um cidadão partilhou, durante um minuto, uma das partes mais animadas que compõe este instante:

Em Espanha, a polícia também marcou com a animação nas ruas de Algaida, em Maiorca, com cânticos da cidade. O vídeo, que a SIC Notícias recolheu, foi partilhado na internet e já conta com mais de 100 mil visualizações: https://sicnoticias.pt/especiais/coronavirus/2020-03-24-Policia-espanhola-canta-para-animar-populacao-em-isolamento

Os agentes de autoridade são responsáveis pela segurança das pessoas e, uma vez que o mundo vive um momento tão frágil, é imprescindível o apoio constante que transmitem nas vozes e coreografias que revelam. Nas redes sociais é visível o quanto as pessoas estão agradecidas, pelas inúmeras partilhas, gostos e comentários, aos gestos que os polícias têm feito.

Em todo o mundo, o novo coronavírus já provocou mais de 2 milhões de infetados, fez mais de 150.000 mortes e ao todo somam-se 581.515 recuperados.